Grêmio enfrenta Estudiantes em partida crucial pela Libertadores após "Batalha de La Plata


Fonte: -

Grêmio enfrenta Estudiantes em partida crucial pela Libertadores após Batalha de La Plata

Grêmio , Estudiantes, o Estádio Jorge Luis Hirschi e um clima de sobrevivência na Conmebol Libertadores. Nesta terça-feira, o Tricolor volta a encontrar o rival argentino no local da mítica "Batalha de La Plata", de 1983. Mais de quatro décadas depois, o duelo também tem caráter decisivo. O futuro da equipe na competição está em jogo. Zerado no Grupo C após duas rodadas, o Grêmio precisa da vitória diante do Estudiantes para seguir vivo na briga por classificação. Empate ou derrota não elimina o clube, mas complica ainda mais a situação já difícil para ir às oitavas, o que seria um grande baque na temporada para quem colocou a Conmebol Libertadores como prioridade.

O Estudiantes divide a liderança da chave com o Huachipato, com quatro pontos, e o The Strongest é o terceiro, com três. Para os argentinos, ainda é a chance de complicar um concorrente direto. — Não começamos bem nas primeiras partidas, então temos obrigação de somar em um estádio complicado como o do Estudiantes. Vamos com expectativa de conseguir os três pontos — disse Marchesín. O Estudiantes tem uma história aguerrida. Vamos tratar de conseguir os 3 pontos que precisamos e mostrar a história do Grêmio, também bastante aguerrida. — Kannemann

Há 41 anos, os times se enfrentaram pela mesma competição, mas em cenário distinto, na disputa por uma vaga na final. Em 1983, o regulamento tinha a fase semifinal com dois grupos de três equipes. Grêmio e Estudiantes tinham a companhia do América de Cali. Em La Plata, uma vitória daria ao Grêmio a classificação. Em uma partida "pela vida" , em clima totalmente hostil, o Tricolor chegou a estar vencendo por 3 a 1, mas o adversário mesmo com quatro jogadores a menos buscou o empate.

Renato Portaluppi, técnico do Grêmio
Créditos: Lucas Uebel/Grêmio

Valdir Espinosa, treinador gremista à época, chegou a dizer anos depois que "alguém morreria" se a vitória fosse brasileira. O jogo ficou conhecido como “Batalha de La Plata” pelo clima bélico. O resultado (com gosto de derrota) se explica na hostilidade do momento em que a delegação tricolor desembarcou em Buenos Aires até o retorno a Porto Alegre.

O estádio era o mesmo do duelo desta terça-feira. Porém, o Jorge Luis Hirschi passou por reforma e foi reinaugurado em 2019. Aliás, quando os times se enfrentaram pela Libertadores 2018, o confronto aconteceu em Quilmes por conta das obras na cancha de La Plata. Na história, o Grêmio duelou cinco vezes com o Estudiantes na Argentina, quatro delas no antigo estádio, com uma vitória, dois empates e duas derrotas (uma em Quilmes). O triunfo, em 1989, foi um 3 a 0 na Supercopa Libertadores, competição disputada nos anos 1980 e 1990.

Grêmio e Estudiantes duelam a partir das 19h desta terça. Embora circunstâncias e épocas sejam bem distintas, poderá, por que não, remeter à batalha que marcou o primeiro título continental. O ídolo Renato, aliás, esteve em campo há quatro décadas, e mais uma vez estará no comando da equipe em busca de sobrevida nesta Libertadores.



VEJA TAMBÉM
- Grêmio domina e goleia The Strongest no Couto Pereira: confira as notas.
- Grêmio domina no Couto Pereira, arrasa Strongest com golaços e renasce na Libertadores
- Onde assistir ao vivo o jogo de Grêmio x The Srongest pela Libergtadores






Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

29/5/2024